Quando a estrela de The Marvels, Brie Larson, não está praticando arco e flecha, ela provavelmente está fazendo um sério crescimento pessoal e emocional.

Em uma recente conversa no podcast Armchair Expert with Dax Shepard, a atriz se abriu sobre como superar a pressão para agradar aos outros e encontrar a coragem de se defender em situações desconfortáveis.

“No último um ano e meio ou dois anos, eu sinto que o universo me confrontou com a necessidade de ser capaz de enfrentar [as situações], e confrontar mais cedo, e apenas dizer, ‘Eh. Eu não gosto disso'”, explicou Larson. ‘Eu iria perceber que, especialmente com coisas pequenas, não iria valer a pena’. E agora eu fico tipo, você sabe o que não vale a pena? Se sentir desconfortável, ter ressentimentos e ficar estranho com alguém para sempre.  Não é isso. Por que não acabar com isso e dizer: ‘[Isso] não é minha preferência.'”

Larson, que ganhou um Oscar de Melhor Atriz em 2016 por seu papel em ‘O quarto de Jack’, explicou que o medo do confronto era que “as pessoas motivadas misturam isso com ‘Devo estar errada”.

“Não quero parecer uma idiota por dizer algo quando estou obviamente errada”, dizia ela a si mesma nesses momentos, antes de acrescentar sarcasticamente: “É apenas minha opinião. Isso não pode estar certo.”

Larson acrescentou que uma grande lição, que ela aprendeu recentemente, é não se forçar a “aceitar algo quando não estou pronta”, o que abriu novos caminhos para o crescimento pessoal.

“Há a parte intelectual de mim que é tipo, claro, amo a todos, eu entendo”, explicou ela. “Mas então, tipo, eu realmente sinto isso? Porque vou me pegar pulando em frente, tipo, bem, eu sei que estou errada, eu sei que não deveria ter esse ressentimento ou sei que não deveria me sentir dessa maneira, então vou agir como se não fizesse isso. Mas não funciona. Essa é apenas outra maneira de nos enganarmos para não confrontar. Nós pensamos: ‘Eu sou uma pessoa legal, então vou ficar bem com eles.’ Parar com as “histórias” cheias de ansiedade antes que ela saiam do controle é igualmente importante. “Às vezes, o cortisol, todas essas coisas, tornam ainda mais difícil acessar o que é verdade, o que está vivendo em nós, o que está disponível e nós inventamos histórias”, explicou ela.

“Uma das últimas vezes que tive que confrontar alguém, adiei por um ou talvez dois anos, porque tinha todas essas histórias: Bem, eles estão passando por isso, eles estão passando por aquilo e eu deveria ser mais atenciosa, eu deveria ser mais isso “, disse Larson.

“Então eu tive um momento em que eu pensei, se nós nos livrarmos das histórias, então você apenas enfrenta algo e você não tem toda a carga em torno disso porque a história não está lá. Então, você pode apenas dizer: ‘Ei, isso é meio ruim’ ou ‘Meus sentimentos foram feridos’ ou ‘Posso estar errada, mas foi isso que recebi em nosso último telefonema e me fez sentir assim. ‘ Em vez de [ter] todas essas coisas surgindo que não têm nada a ver com a simplicidade de ‘Isso é o que eu senti’ e estar aberto para como eles lidam com isso, o que às vezes não é bom. ”

Larson admite que está  “com um histórico de meio a meio”, quando se trata de confronto. “50% de chance de ir bem ou não.”

A confiança recém-adquirida da jovem de 31 anos a ajudou a ter seu espaço muito mais do que antes.

“Eu tinha essa ideia na minha cabeça, tipo, ‘Oh, quando eu chegar a blá, blá, blá, então serei finalmente respeitada'”, disse Larson quando questionada sobre sua experiência com respeito como mulher em sets dominados por homens. “E isso nunca mudou.”

Ela elaborou, dizendo “A verdade é que nunca mudou até que eu mudei. Mudou uma vez que eu não me incomodei com isso, o que parecia tão bizarro para mim porque era tudo tão externo. Eu estava tipo, eu nunca vou sair dessa coisa, esse sentimento opressor. Mas depois que diminuí o efeito que isso teve sobre mim, [se tornou] engraçado. Alguns deles são simplesmente absurdos. Alguns deles eu tenho muita simpatia porque algumas pessoas – como diretores e produtores – apesar de o fato de que eles podem ser mais velhos do que eu e podem ter créditos incríveis, as chances são de que eu tive mais tempo no set do que eles porque não tive que fazer a pré-produção e não terei que fazer a pós. Portanto, há uma probabilidade maior, supondo que estou trabalhando, de ter mais experiência no set. ”

“Eu também estou em um lugar diferente”, disse ela sobre seu sucesso. “Estou na minha marca, que é o epicentro de todos. Sinto a energia de todos. Sei qual é o trabalho de todos. Faz parte do meu trabalho saber qual é o trabalho de todos. Então, vejo tudo isso.”

“E por causa do meu trabalho, sinto que as pessoas falam comigo”, continuou ela. “Tipo, os membros da equipe vão se abrir e dizer coisas, então eu tenho uma visão interessante de todas essas coisas diferentes que não sei se os produtores vão ver ou ouvir.”

Fonte: Yahoo
Tradução e adaptação: Brie Larson Brasil

Podcast: Armchair Expert