Demorou meses até que a Marvel anunciasse formalmente quem estaria interpretanto o papel da Capitã Marvel, e demorou os meses para Brie Larson decidir se deveria ou não aceitar. Em uma entrevista com a revista Porter da Net-a-Porter, a vencedora do Oscar revelou o que a influenciou para se juntar ao Universo Marvel.

“Passei meses pensando se iria ou não fazer o filme e no fim percebi que era a oportunidade de fazer algo maior do que tudo que já fiz na vida. Eu sei que isso vai me obrigar a abrir mão de coisas que eu amo, mas eu acho que vai valer a pena”.

Larson retratará Carol Danvers em Capitain Marvel, um filme preparado antes dos eventos do primeiro filme do Iron Man. Samuel L. Jackson retornará como S.H.I.E.L.D., agente Nick Fury – desta vez com ambos os olhos – em uma história envolvendo uma mulher forte lutando contra os alienígenas conhecidos como Skrulls.

Os quadrinhos descrevem Carol como um membro da Força Aérea e da C.I.A, da qual o DNA foi misturado com o de um alien da raça Kree, dando a ela força sobre-humana, invulnerabilidade, voo, e o poder de lançar rajadas de energia de suas mãos. O chefe da Marvel Studios, Kevin Feige, nos adiantou que, quando a Capitã Marvel entra em cena, ela “será de longe a personagem mais forte que já tivemos” em um filme da Marvel.

Larson evoluiu de uma estrela indie para uma das atrizes mais procuradas em Hollywood, já que ganhou como melhor atriz no Oscar de 2016 com o filme O Quarto de Jack. Mas ter um papel importante em um filme dos Estúdios Marvel é um outro nível. Larson disse ao The Hollywood Reporter, em uma entrevista de 2016, o quanto ela valoriza sua privacidade. “Eu não posso ajudar, mas viajo sobre o quão semelhante minha vida é com o filme O Quarto de Jack. É sobre eu querer ficar na minha pequena bolha e permanecer anônima e invisível e, ao mesmo tempo, precisar avançar com essa mão que me foi estendida”.

A estrela de “O Castelo de Vidro” disse anteriormente sobre aceitar o papel de Capitã Marvel: “Em última análise, não posso negar o fato de que este filme é tudo o que me interessa, tudo o que é progressivo, importante e significativo. E um símbolo que eu desejei que eu ter. Eu realmente sinto que vale a pena se isso pode trazer compreensão e confiança para as mulheres mais jovens – eu vou fazer isso”.

Fonte: EW